Prado decreta situação de emergência por causa do avanço do mar (BA)

14:40 Marco Lyra | Engenheiro Civil | Especialista em Obras de Defesa Costeira. 0 Comentarios


Mar avança sobre a orla do município do Prado
O município de Prado decretou situação de emergência em área litorânea específica da cidade pradense, afetada pela erosão marítima.

No sul da Bahia é o segundo a adotar essa medida. No último dia 28 de abril, o Prefeito de Mucuri, Carlos Simôes (PDT), decretou emergência. No dia 19 de maio, a Defesa Civil da Bahia reconheceu a situação do município.

Imagem área mostra pequena faixa de areia separando a Pousada Ponta de Areia do mar (Foto: Clickairbh)
Através do Decreto N.º 151/2017, publicado no último dia 31 de maio, a Prefeita do Prado, Mayra Brito, estabeleceu ações de socorro aos pradenses afetados pela ação da natureza. Nos últimos anos, o mar tem avançado muito sobre a costa, causando estragos e destruição do patrimônio público e particular.

Muitos estabelecimentos erguidos à beira-mar sofrem os impactos das fortes ressacas, principalmente, nas estações do outono e inverno. A Marinha do Brasil emitiu nesta quinta-feira (1º), o aviso N.º 428/2017, sobre fortes rajadas de ventos e mar grosso (grandes ondas, que podem chegar até 3 metros de altura).

Pequena faixa de areia separando o mar da Pousada Ponta de Areia. Em tempos de ressaca a água toma conta dessa faixa de areia e chega ao estabelecimento (Foto: Junho/2017)
Empresários do ramo hoteleiro já contabilizam os prejuízos. Um dos maiores empregadores do município, o Resort La Isla já não existe mais, depois de inúmeras tentativas do Banco Sofisa em manter o empreendimento de pé. Há informações de que, apenas para conter o avanço do mar, utilizando sacos de areia e caminhões de pedra, foram gastos mais de R$ 7 milhões de reais, ao longo de um ano.

O banco, que pagou pelo resort, em 2011, o valor de R$ 58 milhões, desistiu de manter abertas as portas do empreendimento e demitiu mais de 100 funcionários permanentes e outros 150 empregados temporários.

Barraca da família de Mãezinha foi destruída pelo mar (Foto: 2012)
Muitos dos empreendimentos hoteleiros e turísticos estão com os dias contatos, se nada for feito. A Pousada Ponta de Areia é um deles. Pressionada pelas águas do Rio Jucuruçu e do Oceano Atlântico, a área em volta do estabelecimento é cada vez menor em relação ao mar.

As barracas de praia têm realidade parecida, sendo cada vez mais recuadas em relação à costa litorânea. Se nada for feito a geografia e a atual paisagem do litoral pradense vai desaparecer.

Fonte: noticias.primeirojornal.com.br

0 comentários:

Postagem mais recente Página inicial Postagem mais antiga