Curva da Jurema sofre com erosão marítima, em Vitória (ES)

13:16 Marco Lyra | Engenheiro Civil | Especialista em Obras de Defesa Costeira. 0 Comentarios


Há pontos da praia, que é produto de aterro, em que faixa de areia quase sumiu. Donos de quiosques reclamam que turistas deixaram de frequentar o local.

Mar invade e causa erosão na Curva da Jurema (Foto: Edson Chagas/ A Gazeta)
Mar invade e causa erosão na Curva da Jurema (Foto: Edson Chagas/ A Gazeta)
Um dos cartões-postais mais conhecidos de Vitória, a Curva da Jurema tem sofreido com a erosão marítima. Em alguns pontos da praia, a faixa de areia quase desapareceu e donos de quiosques reclamam que turistas deixaram de frequentar o local.

O avanço do mar preocupa os comerciantes, principalmente nos primeiros quiosques, como no ponto de Sônia da Silva Bastos. Ela acredita que o avanço da água tem diminuído o número de clientes.

“A última vez que a maré subiu chegou na madeira do quiosque. Isso diminui o número de turistas porque eles não têm como colocar cadeira na areia e, dependendo do caso, é preciso reduzir o número de mesas”, explica.

O oceanógrafo da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) Renato Ghisolfi explica que dentro da Curva da Jurema existe uma dinâmica natural do processo erosivo.

“A erosão é um processo que acontece ao longo do tempo devido a diversos fatores, como correntes e ondas que vão realizando o processo de retirada de areia. As modificações na costa fazem com que a água consiga avançar em função da maré, que eleva o nível temporariamente.”

O oceanógrafo da Secretaria de Meio Ambiente de Vitória, Paulo Rodrigues, destaca que a Curva da Jurema é um aterro e ocupou uma parte do mar, então, a tendência é que o mar pegue a faixa novamente. “O local tem uma concentração de energia das águas, como ondas e correntes que tendem a provocar a erosão”, diz.

Providência

O dono de um quiosque Renee Lauret afirma que a Associação de Comerciantes da Curva da Jurema fez um pedido à Prefeitura Municipal de Vitória para resolver o problema. Eles ainda não foram atendidos.

“Há anos foi feita a recomposição de areia para evitar que a água chegasse até os quiosques. Ela deveria ser feita novamente pela prefeitura, que também poderia viabilizar uma solução permanente para o problema.”

O oceanógrafo da Secretaria de Meio Ambiente de Vitória informou que a Prefeitura de Vitória acompanha a aproximação do mar. “Temos estudado uma forma de realizar a ‘engorda’ da praia novamente, quando a areia é trazida para proteger a urbanização do local. No entanto, é muito custoso e não tem data prevista. Estamos buscando uma forma de resolver o problema, tentando parcerias com empresas privadas.”

Fonte: G1

0 comentários:

Postagem mais recente Página inicial Postagem mais antiga