Órgãos públicos discutem limpeza de sargaço nas praias de Maceió (AL)

16:48 Marco Lyra | Engenheiro Civil | Especialista em Obras de Defesa Costeira. 0 Comentarios


Outro tema discutido na reunião foi o processo de erosão marinha
Outro tema discutido na reunião foi o processo de erosão marinha
A concentração de sargaço nas praias de Maceió foi tema de reunião realizada, na manhã desta segunda-feira (25), pelo Instituto do Meio Ambiente (IMA), Secretaria Municipal de Promoção do Turismo (Semptur) e Superintendência de Limpeza Urbana de Maceió (Slum).

Durante o encontro, ficou decidido que a Slum irá solicitar ao IMA uma autorização para a retirada dos sargaços – algas marinhas comuns em regiões tropicais – que, em determinados períodos do ano, exalam mau cheiro e causam desconforto a moradores, comerciantes e turistas.

Segundo Ricardo César, coordenador de Gerenciamento Costeiro do IMA, o mau cheiro do sargaço é causado pela decomposição da matéria orgânica e, em alguns casos, o odor é acentuado pelo acúmulo de lixo que acaba se misturando com as algas.

“A autorização ambiental é necessária porque a remoção deve ser feita de forma que não afete a biota existente na areia. Existem critérios técnicos pra evitar que, junto com o sargaço, seja, por exemplo, retirada uma quantidade significativa de sedimentos da praia”, disse o coordenador.

Ainda de acordo com Ricardo, os sargaços colaboram para o equilíbrio ambiental. “Essas algas são decompostas, mineralizadas e servem de alimento para organismos que são a base da cadeia alimentar”, explicou.

Avanço do mar

Outro tema discutido na reunião foi o processo de erosão marinha que tem afetado áreas urbanizadas de Alagoas. Durante o encontro ficou decidido que o IMA realizará, ainda este ano, um seminário sobre o fenômeno.

Os técnicos do IMA estão monitorando periodicamente os locais onde há registro de avanço do mar. Além da fiscalização para combater as obras ilegais de contenção, o objetivo do monitoramento é levantar informações sobre a ação do fenômeno no Estado.

por Ascom/IMA
Fonte: aquiacontece.com.br

0 comentários:

Postagem mais recente Página inicial Postagem mais antiga