Caminha: Estudo da Polis fornece suporte para execução de candidatura à dragagem do canal dos pescadores (Portugal)

12:30 Marco Lyra | Engenheiro Civil | Especialista em Obras de Defesa Costeira. 0 Comentarios


A Polis Litoral Norte submeteu recentemente ao POSEUR - Programa Operacional da Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos, uma candidatura para realização do levantamento batimétrico e análise de sedimentos na Foz do Minho. Esta candidatura vai permitir recolher informação bastante valiosa para o concelho de Caminha, constituindo o primeiro grande passo para que, dentro de algum tempo, se possa realizar uma outra candidatura, esta para a dragagem do canal dos pescadores.

Conforme explica o presidente da Câmara, “agora fazemos o levantamento do leito do rio e percebemos a qualidade da areia, porque a mesma vai ser encaminhada para a praia de Moledo. Depois, avançamos com a candidatura para a dragagem, uma reivindicação antiga dos pescadores de Caminha que trouxe já o presidente da APA a Caminha para reunir com a associação e a Câmara”.

“Levantamento hidrográfico e análise de sedimentos na foz do rio Minho com vista à alimentação artificial da praia de Moledo, enquanto intervenção de proteção costeira” é a designação da candidatura que a Polis Litoral Norte submeteu ao POSEUR. Estes trabalhos permitirão reforçar o cordão dunar na Praia de Moledo enquanto primeira linha de defesa costeira, de forma a impedir o avanço do mar sobre a área urbana de Moledo e sobre a Mata Nacional do Camarido. 

Para além disso, segundo Miguel Alves, os resultados deste levantamento hidrográfico e a análise dos sedimentos vão contribuir para uma melhoria da navegabilidade na foz do rio Minho além de permitir, como referimos atrás, avançar com uma candidatura para a dragagem do canal dos pescadores.

É importante referir também que o levantamento hidrográfico e a análise de sedimentos na Foz do Rio Minho são acções complementares que possibilitarão, no futuro imediato, intervir nesta linha de costa tão fragilizada por ação do avanço do mar e da ocupação desregrada e abusiva do homem, de forma estruturada e resiliente.

De acordo com o relato técnico, “a elaboração do levantamento hidrográfico na foz do rio Minho com vista à alimentação artificial da praia de Moledo, enquanto intervenção de protecção costeira será realizado através de um levantamento à escala 1:500, com referenciação ao sistema de coordenadas Hayford-Gauss, Datum 73 e será acompanhado de um relatório descritivo dos trabalhos com indicação da metodologia de execução, vértices geodésicos utilizados e marcos de apoio estabelecidos. Estes marcos serão materializados de forma a garantir a sua perenidade”.

Por outro lado, conforme consta do processo, estes trabalhos enquanto intervenção de protecção costeira, “visam a execução da campanha de amostragem aos sedimentos a dragar na Foz do Rio Minho, em 15 (quinze) estações de amostragem (EA), com a colheita de amostras de sedimentos compósitas e a consequente realização de ensaios laboratoriais de caracterização físico-química daqueles sedimentos, em cumprimento da Portaria 1450/2007, de 12 de Novembro (para os limites de detecção indicados no diploma legal). Em cada estação de amostragem será recolhida uma coluna de sedimentos com cerca de 2 m”.

Esta candidatura de protecção do litoral - acções e materiais e acções que visam a produção de conhecimento, gestão da informação e monitorização foi submetida ao Programa Operacional da Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos (POSEUR) cujo eixo prioritário e objectivo temático é promover a adaptação às alterações climáticas e a prevenção e gestão de riscos.

*** Nota elaborada pelo gabinete de comunicação da C. M. de Caminha ***
Fonte: correiodominho.com

0 comentários:

Postagem mais recente Página inicial Postagem mais antiga