Moradores de Rabo de Peixe exigem avanço de obra de proteção de falésia (Açores - Portugal)

11:52 Marco Lyra | Engenheiro Civil | Especialista em Obras de Defesa Costeira. 0 Comentarios


Moradores da vila de Rabo de Peixe, no concelho açoriano da Ribeira Grande, voltaram a reivindicar obras urgentes para proteger uma falésia onde já ocorreram derrocadas, intervenção que o Governo Regional anunciou estar já a preparar.
Falésia a necessitar de proteção em Rabo de Peixe

Um comunicado de imprensa divulgado à tarde pela Direção Regional dos Assuntos do Mar indica que foram "remetidos convites a empresas para a apresentação de um estudo sobre a intervenção" de proteção e requalificação costeira e que na segunda-feira termina o prazo para a entrega dessas propostas, mas, numa sessão pública de esclarecimento realizada à noite na junta de freguesia, os residentes da zona exigiram saber quando avança a obra.

As preocupações estão concentradas na Rua de São Sebastião, onde, do lado oposto ao da falésia, há cerca de 40 habitações.

Na quinta-feira, a polícia foi chamada quando os ânimos se exaltaram por estarem a ser colocados no chão paralelepípedos de cimento que impediam o estacionamento numa parte da via, uma iniciativa da Câmara da Ribeira Grande para impedir a proximidade das viaturas em relação à falésia, localizada junto ao porto de pescas, e também, segundo o vereador de Viação e Trânsito, para "sensibilizar o Governo Regional para resolver" a situação.

Carlos Anselmo, que esteve na sessão da junta de freguesia, disse que os blocos foram retirados perante a contestação dos residentes e sublinhou que o executivo regional se comprometeu a fazer um muro de proteção na próxima semana, além de avançar com o estudo.

A nota da Direção Regional dos Assuntos do Mar confirma que este organismo vai "proceder, brevemente, à construção do muro de proteção junto à crista da arriba da falésia onde foram efetuadas demolições de garagens por apresentarem risco de ruir".

"O muro integra-se no projeto de alteração da via municipal, que será definido pela Câmara Municipal da Ribeira Grande, estando, por isso, a Direção Regional a aguardar informação da intervenção a realizar naquele local. Até essa altura, e por razões de segurança, o acesso à falésia continuará interdito através de uma vedação metálica", explica o comunicado.

As demolições das garagens ocorreram no âmbito de um relatório do Laboratório Regional de Engenharia Civil, que, como sublinhou o autarca Carlos Anselmo, levou também a que, há alguns meses, a Rua de São Sebastião passasse a ter apenas um sentido, num período experimental, até ao final do ano.

O vereador considerou ainda que "a força do mar é agora outra", após as obras de ampliação, reordenamento e beneficiação do porto de pescas, inauguradas pelo Governo dos Açores no final de 2014: "O estudo indica que a energia das ondas que antes era diluída em toda a encosta está a concentrar-se na Rua de São Sebastião".

De entre as mais de duas dezenas de moradores presentes na sessão, ouviram-se críticas ao projeto do porto.

"Sabiam que a costa ia dar de si. Não é um muro que vai aguentar a falésia", afirmou uma residente, que, a par dos vizinhos, exigiu ser informada dos pormenores da nova intervenção do executivo regional, com a presença da Direção Regional dos Assuntos do Mar numa sessão semelhante.

A junta de freguesia e a câmara mantiveram o compromisso de continuar a insistir junto do governo para que a solução avance rapidamente.

Fonte: acorianooriental.pt

0 comentários:

Postagem mais recente Página inicial Postagem mais antiga