Projeto para conter avanço do mar será debatido em São João, no RJ

12:51 Marco Lyra | Engenheiro Civil | Especialista em Obras de Defesa Costeira. 0 Comentarios


Será apresentado o projeto de recuperação da orla de Atafona.
Evento está marcado para segunda-feira (1º), 18h, no Auditório Municipal.

Um projeto idealizado para recuperação da orla de Atafona, em São João da Barra, no Norte Fluminense, será debatido pelo prefeito José Amaro de Souza, Neco, e o diretor do Instituto Nacional de Pesquisas Hidroviárias (INPH), Domenico Accetta. O evento, aberto ao público, vai acontecer nesta segunda-feira (1º) no Auditório Municipal, às 18h. O ex-deputado Roberto Henriques, que enquanto esteve na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) defendeu a realização do estudo e a execução da obra, também garantiu presença.

Avanço do mar acontece de forma rápida e já destruiu muitas construções no Açu e Atafona (Foto: Divulgação/InterTV)
Avanço do mar acontece de forma rápida e já
destruiu muitas construções no Açu e Atafona
(Foto: Divulgação/InterTV)
Segundo Neco, todo projeto já está concluído e o debate vai girar em torno da única indecisão: se a areia que será utilizada para redesenhar a orla será retirada do fundo do Rio Paraíba ou do mar. Após essa deliberação o valor total do projeto será definido. A população terá direito a opinar durante o debate. “É muito importante que a comunidade participe da reunião de apresentação do projeto, que os formadores de opinião participem deste encontro nesta segunda”, ressaltou Neco.

Há mais de 50 anos a erosão costeira vem redesenhando a paisagem de Atafona. São cerca de três metros a menos de faixa de areia a cada ano. Desde a década de 1960, mais de 15 ruas e 500 casas foram engolidas pela água. O Pontal, que era completamente povoado, foi totalmente tragado pela força do mar.

Os estudos do INPH sobre o litoral de Atafona tiveram início em 2013. Domenico Accetta, diretor do instituto, foi responsável também por projetos de sucesso nas cidades de Conceição da Barra e Marataízes, no Espírito Santo.

Fonte: G1

0 comentários:

Postagem mais recente Página inicial Postagem mais antiga