Mar avança, destrói orla e ameaça visitantes em praia de Rio das Ostras (RJ)

13:49 Marco Lyra | Engenheiro Civil | Especialista em Obras de Defesa Costeira. 0 Comentarios


Forte ressaca está destruindo muro de contenção da Praia da Tartaruga.
Mar já pode ter avançado quatro metros desde o início do ano.

Imagem - G1
A passagem de um ciclone extratropical pelo sudeste brasileiro está causando fortes ondas no litoral do Rio. A ressaca aumenta a preocupação na Praia da Tataruga, em Rio das Ostras, na Região dos Lagos, onde o avanço do mar já está causando a destruição da orla. As fortes ondas que batem com força no muro de contenção já destruído apressam o processo de erosão no local. Na manhã desta quinta-feira (14) mais um pedaço da parede desmoronou, causando perigo aos moradores e visitantes que passam pelo local.

De acordo com o biólogo Eduardo Pimenta, o processo de erosão é resultado da intervenção humana e fenômenos da própria natureza. "É o somatório de uma série de fatores. O primeiro deles é uma obra de urbanização que adentra a zona costeira. Somando-se a isso, o aumento da temperatura do planeta, que tem feito com que o nível do mar suba. Existe uma projeção de que já subiu três metros", explicou, acrescentando que há informações que indicam um avanço de quatro metros no mar do litoral fluminense apenas de janeiro a maio.

As mudanças têm provocado um estado de alerta por parte da Defesa Civil de Rio das Ostras. "Estamos fazendo um monitoramento devido o avanço da orla e estamos fazendo uma prevenção, alertando a população e colocando a tela para a proteção dos munícipes", disse o coordenador da Defesa Civil Jorge Marzo. "Estamos alertando a todos para que tomem o maior cuidado possível e não ultrapassem a tela para não causar nenhum acidente", finalizou.

Segundo o Secretário de Obras Wayner Fajardo, já existe uma proposta de obra para o local. "A secretaria com seus técnicos e engenheiros já apresentaram ao prefeito a solução e o prefeito juntamente com os órgãos do estado está viabilizando essa parceria para diminuir a energia que está avançando", explicou Fajardo.

Fonte: G1

0 comentários:

Postagem mais recente Página inicial Postagem mais antiga