Erosão se agrava no calçadão da orla na Zona Leste (Natal - RN)

Os 700 metros de calcadão entre a Ladeira do Sol e Brasília Teimosa, revitalizados pelas obras de reurbanização da orla de Natal, continuam causando transtornos para a Semov. Ao longo do trecho, alguns pontos de buracos e depressões permanecem. De acordo com Teresa Cristina, a Secretaria tem tentado “resolver de forma paliativa”, mas, será preciso uma “solução emergencial e definitiva”. Conforme a secretária adjunta, um processo licitatório já foi iniciado e deve ser publicado “em breve”, ainda sem data oficial. 

“Vamos contratar uma empresa para fazer a recuperação estrutural da orla. Temos que construir um muro de arrimo e reparar diversos danos causados por eventos de erosão na área”. Questionada pela reportagem, ela garantiu que os recursos já estão assegurados. “O investimento será próprio do erário, mas, não temos o valor exato. A licitação está na fase de habilitação e preso”, explicou Teresa Cristina. Ainda de acordo com ela, será preciso “novos estudos para a área, em caráter emergencial”. 

Para a região, a Semov também tem o incremento de um projeto executado pelo Ministério do Turismo, que liberou R$ 10 milhões, a serem utilizados em novos serviços de reurbanização da orla marítima no trecho entre as praias de Ponta Negra, na zona Sul, e do Forte, na zona Leste da capital potiguar. Os valor é gerido pela Caixa Econômica Federal e os pagamentos são feitos mediante medições do andamento das obras. 

O deslizamento mais recente ocorreu na manhã do último dia 27 de janeiro deste ano. Um trecho de aproximadamente 10 metros, no calçadão de Areia Preta, nas proximidades do Shopping do Artesanato, desabou por causa da erosão marítima. Como solução paliativa, a Semov fechou a cratera com areia e granito, colocando também uma manta sintética entre o muro de arrimo e o sedimento arenoso.

Fonte: Tribuna do Norte

Comentários

Adriano Reis disse…
Marcos Lyra, o devido processo de engorda mais a colocação de pontilhões de pedras da praia dos artistas à praia do forte não seria a melhor solução???

Mais visitados