Obras na orla entre Enseada e Ubatuba pretendem conter avanço da maré em São Francisco do Sul (SC)

17:32 Marco Lyra | Engenheiro Civil | Especialista em Obras de Defesa Costeira. 0 Comentarios


Forte maré registrada no último dia 14 fez Prefeitura decretar situação de emergência

A Prefeitura de São Francisco do Sul, através da secretaria de Obras, está trabalhando na construção de uma barreira de pedras e terra para conter o avanço da erosão pela ação da maré na foz do rio Acaraí, próximo à ponte que liga as praias da Enseada e Ubatuba. O serviço foi iniciado a partir do dia 14, quando a força da maré, intensa e concentrada, atingiu a área entre os balneários, quase alcançando o asfalto no acesso à ponte e um poste da rede elétrica, além de levar apreensão para os moradores das casas mais próximas.

Enrocamento. Barreira de pedras e terra para conter o avanço
da erosão pela ação da maré na foz do rio Acaraí | Foto: Carlos Junior/ND
Com o problema, após avaliação dos técnicos da Defesa Civil, o prefeito Luiz Roberto de Oliveira decretou situação de emergência no município, válida para as áreas afetadas. Além dos danos e prejuízos já registrados na orla, a decisão pelo decreto considerou também o grau de vulnerabilidade da área e o risco de a situação se agravar e comprometer o asfalto e a ponte, único ponto de acesso às praias da Enseada, Prainha e Praia Grande.

O serviço de contenção chamado de enrocamento está em fase final. De acordo com o Eni Voltolini, secretário de Meio Ambiente, o trabalho foi recomendado pela Comissão Municipal de Defesa Civil como medida emergencial de proteção da área atingida. “Foi uma maré muito forte. Agora esse serviço deve resolver a questão, de forma a não colocar em risco à via e a rede elétrica. O enrocamento tende a fazer a contenção necessária”, apontou.

Os problemas pelo avanço da maré na foz do rio Acaraí tem sido registrados com freqüência desde 2010, quando foi aberto um canal na Enseada para retificar o curso do rio, o que provocou alteração no fluxo das águas no local. No ano passado, as intervenções na boca da barra, com a construção de um molhe de pedras ao lado da ponte, chegaram a ser embargadas. No fim do ano, um acordo com o Ministério Público, garantiu que a Prefeitura retomasse os trabalhos.

Conforme Voltolini, as ocorrências pela ação da maré alta não é privilégio das praias em São Francisco. Ele citou os estragos pela ressaca nos balneários Piçarras, Itapoá e Barra Velha. “É um problema da nossa costa, pelas condições climáticas”, apontou.

Fonte: ndonline.com.br

0 comentários:

Postagem mais recente Página inicial Postagem mais antiga