Enrocamento necessita de mais R$1,1 milhão e término é adiado (RN)

11:30 Marco Lyra | Engenheiro Civil | Especialista em Obras de Defesa Costeira. 0 Comentarios


A Finalização da obra de enrocamento da Praia de Ponta Negra depende da liberação de recurso suplementar do Ministério da Integração. Ao longo da execução do serviço em cerca de dois quilômetros na Avenida Erivan França, o projeto do enrocamento foi alterado, o que aumentou em 20% o custo total da obra. Antes orçado em R$ 4,8 milhões, a Secretaria Municipal de Obras Públicas e Infraestrutura (Semopi) solicitou ao Governo Federal mais R$ 1,100 milhão. O serviço já chegou a 90% de conclusão, falta somente o acabamento e instalação dos acessos à faixa de areia, que esperam pelo recurso.

O enrocamento consiste na colocação de uma barreira de pedras para conter a ação da água do mar sobre o calçadão. O último prazo dado para conclusão definitiva da obra continua firmado, final de novembro. Mesma data que a Semopi espera receber o suplemento. Por enquanto, a restauração da calçada da praia, contida no projeto de reurbanização da orla marítima das praias urbanas de Natal, aguarda a finalização do enrocamento para iniciar o serviço.

Apesar do aguardo de recursos, enrocamento continua | Foto: Joana Lima
“O enrocamento não está parado, teve que diminuir no avanço porque estamos esperando a aprovação do Ministério na adequação dos recursos para terminar a obra”, explica Caio Múcio, secretário adjunto da Semopi. As alterações no projeto se deram, principalmente, na colocação das pedras do enrocamento. Aumentou em 60cm a altura do enrocamento a fim de adequar à altura da calçada já existente. Com isso, o calçadão expandiu em mais 10 cm na largura da área.

De acordo com o secretário, o recurso já está autorizado oficialmente, mas o Ministério da Integração está formalizando o plano de trabalho até o final do mês. Ainda faltam a instalação de 10 escadas e 6 rampas para acesso à faixa de areia da praia. Destas, apenas cinco escadas foram colocadas.

Não é a primeira vez que o serviço de enrocamento tem dificuldades com a questão financeira. Em meados de setembro também passou por um longo atraso o que prejudicou o andamento da obra e cumprimento do prazo, antes anunciado para o final de setembro. Para Múcio, a quantidade limitada de técnicos do Ministério da Integração, responsáveis pelo acompanhamento das obras, é a razão do atraso nos repasses.

Enquanto não finaliza o enrocamento, a reurbanização na Praia de Ponta Negra não pode ser realizada. Pelos planos da Semopi, a obra que irá restaurar o calçadão e construir novos quiosques, áreas de lazer, será iniciada assim que terminado o enrocamento. A previsão da Semoi é de que nas festas de fim de ano parte da calçada esteja recuperada.

Cerca de dois quilômetros de extensão da avenida Erivan França, em Ponta Negra, recebem o enrocamento, aterramento e recuperação da drenagem e esgotamento sanitário. A obra executada é necessária devido aos desmoronamentos em diversos trechos do calçadão da Praia de Ponta Negra. No entanto, o serviço é provisório. Uma empresa será contratada para estudo sobre possível engodamento da praia, para que fique uma distância de 35 metros em maré alta entre o calçadão e o mar.

Fonte: Tribuna do Norte

0 comentários:

Postagem mais recente Página inicial Postagem mais antiga