Obras de enrocamento da praia de Ponta Negra (RN) só devem ser concluídas na próxima semana

22:40 Marco Lyra | Engenheiro Civil | Especialista em Obras de Defesa Costeira. 0 Comentarios


Ao todo, faltam aproximadamente 200 metros para que o trabalho de
enrocamento na praia de Ponta Negra seja concluído.
Foto: José Aldenir
As obras de reestruturação da orla marítima de Natal começam nesta terça-feira (29), pela praia de Areia Preta, que será reurbanizada em direção à praia do Forte, passando pelas praias dos Artistas e do Meio. A praia de Ponta Negra também será contemplada, mas os serviços só serão iniciados após a conclusão das obras de enrocamento do calçadão, que está prevista para ser concluída apenas na próxima semana. No total, o valor da obra será de mais de R$ 14 milhões, sendo R$ 800 mil de contrapartida da Prefeitura de Natal, e o restante oriundo do Ministério do Turismo.

As obras de enrocamento já sofreram diversas alterações no prazo de conclusão. Isto porque a empresa Camilo Collier, responsável pela execução da obra, depende da ação do mar. Neste final de semana, por exemplo, de acordo com o secretário adjunto de Obras da Secretaria Municipal de Obras Públicas e Infraestrutura (Semopi), Caio Pascoal, a empresa não pode trabalhar em função da maré alta.

Na manhã de hoje, a maré também estava alta e, com isso, não havia nenhum funcionário da empresa ao longo da orla. Com a maré alta, as retroescavadeiras usadas na obra ficam paradas, sem condições de se deslocar devido à água.

Ao todo, faltam aproximadamente 200 metros para concluir o trabalho de enrocamento na praia de Ponta Negra. O enrocamento consiste na implantação de uma barreira de pedras para conter o avanço do mar sobre o calçadão. Hoje, o enrocamento já faz parte do cenário de uma das mais conhecidas do Rio Grande do Norte. Mês passado, as obras de enrocamento, próximo ao quiosque 25, sofreram interrupção devido a um atraso no repasse dos recursos por parte do Ministério da Integração. O problema já foi solucionado.

Além disso, houve uma mudança no projeto inicial e o enrocamento teve que sofrer uma expansão. “Haverá um aporte de recursos complementares de 20% do valor total da obra (avaliada em R$ 5,8 milhões)”, explicou Caio Pascoal. A equipe técnica da Semopi e da empresa responsável pelo serviço detectou a necessidade de ampliar o projeto até o final do calçadão devido a um risco de desabamento na altura das escadarias próximas à avenida Roberto Freire.

Edilson de Jesus trabalha na praia de Ponta Negra há 30 anos. Diferente da maioria dos comerciantes, ele conta que não sentiu efeito negativo sobre as vendas. “Não houve impacto, pois as pessoas continuaram a vir à praia, mesmo com o calçadão destruído. Agora está bem melhor e se é para o benefício da praia, concordamos que estas mudanças sejam feitas. A população está gostando e cada dia melhora mais. Eles já colocaram as escadas e agora só faltam as rampas de acessibilidade”, disse o comerciante que está ansioso pelo início das obras de reurbanização. “Vai ficar muito bonito. Vai mudar a cara da praia”.

Revitalização

A revitalização prevê as seguintes intervenções: adequações do passeio público com substituição do revestimento do piso, implantação de novos mobiliários urbanos, ciclovias entre as praias do Meio e Forte, adequação e distribuição dos quiosques em áreas mais agradáveis e amplas, implantação de banheiros acessíveis, criação de áreas de depósito para guarda de materiais dos quiosques, rampas e escadarias para acesso à faixa de areia, sinalização adequada, área de estacionamento, substituição de iluminação pública, iluminação decorativa, paisagismo, áreas de recreação infantil, e academia da Terceira Idade.

Entre os equipamentos públicos, as praias do centro receberão um abrigo de salva-vidas e um de bombeiros, duas paradas de ônibus, 18 quiosques diferenciados, sendo três acessíveis; seis quiosques/bar, seis baterias de banheiros, sendo cinco unidades com depósitos; dois jogos de playground, dois jogos de academia, sendo um para a Terceira Idade; caramanchões, abrigo para artesanato (praia do Forte), prédio com lojinhas de serviços (na praça do Pâmpano), além de bancos, lixeiras, orelhões e paisagismo.

A Praia de Ponta Negra, por sua vez, além dos 29 quiosques, das baterias de banheiros (5), abrigo de salva-vidas, abrigo de bombeiros, espaço para artesanato, bancos, lixeiras, orelhões e paisagismo, contará, também, com dois decks com mirante. Conforme a Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (Semsur), todos os atuais donos de quiosques e barracas permanecerão com seus espaços comerciais.
 
Fonte: Jornal de Hoje

0 comentários:

Postagem mais recente Página inicial Postagem mais antiga